© All rights reserved GEPEM 2018

II Encontro Nacional das Equipes de Ajuda

 

Campinas, 24 de agosto de 2018

 

O Centro de Convenções de Unicamp foi palco, no dia 24 de agosto de 2018 do II Encontro Nacional das Equipes de Ajuda. evento organizado pelo GEPEM – Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Moral  - Unicamp/Unesp.

O evento, foi denominado “Valentes contra o Bullying”, em alusão a uma organização espanhola, que se ocupa da divulgação da necessidade de combate ao bullying, enfocando a importância do posicionamento daqueles que presenciam as situações de intimidação .

Implantadas no Brasil, desde 2015, sob a coordenação da Professora Dra. Luciene R. P. Tognetta, da Unesp/Araraquara,  as Equipes de Ajuda, são um dos tipos de Sistemas de Apoio entre Iguais (SAI) e foi criada pelo professor José Maria Aviles Martinez da Universidade de Valladoid – Espanha. O modelo brasileiro, segue a premissa do original espanhol do trabalho cooperativo, em grupo para as soluções das questões de convivência, mas sofreu adaptações à realidade brasileira.

Estiveram presentes no evento 12, das 14 escolas escolas brasileiras onde as Equipes de Ajuda já forma implantadas, a saber: EMEF Prof.ª Violeta Dória Lins, de Campinas,  uma das pioneiras na implantação deste projeto; o Colégio Biocêntrico de Nova Odessa e do Colégio Experimental Integrado de São João da Boa Vista; o Colégio Bandeirantes, Colégio Rainha da Paz e Stance Dual School de São Paulo, a Escola Comunitária de Campinas, da EMEF João Alves dos Santos, do CEI Professor Zeferino Vaz e da EMEF Virginia Mendes Antunes de Vasconcelos de Campinas, do Colégio Sidarta de Cotia e da Escola Ativa de Itapira.

Na solenidade de abertura, que contou com a participação do professor José Maria Aviles Martinez por vídeo conferência, foram abordadas questões relativas à importância do trabalho com a convivência nas escolas, com ênfase nas questões legais, especialmente levantadas pelo   Prof. Me. Lélio Braga Calhau – Promotor de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais.

 

Terminada a abertura, o evento seguiu em dois momentos distintos. Os jovens seguiram no auditório 3 realizando a troca de brasões entre as escolas, conduzido pelas Professoras Mestrandas da Unesp/Araraquara Sandra De Nadai e Sanderli A. B. Bomfim.

Terminada a troca de brasões, a programação para os jovens seguiu com um “bate-papo animado” sobre segurança na Internet, com a Professora Mestre, Thais Leite Bozza.

 

Simultaneamente, no auditório 1, ocorria para os professores, ou como foram carinhosamente chamados, os adultos do evento, uma mesa, composta pela Professora Doutora Luciene R. P. Tognetta, o Professor Mestre Lelio Braga Calhau e a professora Mestranda Luciana Z. Lapa. Nesta, iniciada pela fala do professor Lélio que abordou as questões legais envolvidas no combate e prevenção ao Bullying, especialmente com a recente incorporação à LDB, da Lei 13.185 de 2015, chamada “lei antibullying”, foram abordadas também as pesquisas brasileiras em relação à implantação das Equipes de ajuda, bem como todo o processo envolvido na implantação das mesmas.

 

Após o almoço, nossos valentes, como foram carinhosamente chamados (em alusão à organização espanhola “Se buscan Valientes” - www.sebuscanvalientes.com), encontraram tapetes coloridos colocados à frente do centro de convenções, onde puderam sentar-se, saborear um delicioso algodão doce e trocar informalmente suas experiências como membros das Equipes de Ajuda, conversando com seus colegas de outras escolas.

 

Na retomada dos trabalhos, na parte da tarde, o auditório 3 sediou o ponto alto do evento: a partilha de experiências feitas pelos protagonistas das Equipes de Ajuda. Este momento, conduzido pelo professor mestrando Raul Alves de Souza, da Unesp/Araraquara foi recheado de emoção e deu a certeza, a todos os participantes do evento, que estes meninos estão no caminho de “mudar o mundo”, na busca de uma sociedade mais justa e respeitosa.

 

Dentre as muitas colocações, o depoimento de uma aluna da Faculdade de Educação da Unicamp emocionou a todos. Ao relatar as dificuldades que sofreu na adaptação ao ensino médio, que culminou com sua mudança de escola, enalteceu a importância das Equipes de Ajuda, dizendo: “Se eu tivesse tido este tipo de apoio, não teria mudado de escola! Estou feliz por saber que existe este trabalho, para que outros não passem o que eu passei”

 

O evento já se aproximava do final, quando num exemplo de protagonismo, uma integrante das Equipes de Ajuda propôs a criação de uma conta no Instagram, incluindo todas as escolas com Equipes de Ajuda, para divulgar ações. A ideia imediatamente ganhou a adesão de todos, e reunidos no palco, um representante de cada escola, criaram o @equipedeajudabr.

 

Para finalizar o evento, cada um dos “valentes” escreveu uma mensagem, um desejo de um valor, num pequeno cartão que recebeu dos organizadores do evento e o amarrou num balão de gás. Seguiram para fora doo auditório, onde foram recebidos com palmas, pelos professores que já os aguardavam, em uma grande roda. Aos poucos, foram tomando o centro e após uma breve reflexão sobre a importância do evento e o desejo de espalhar o sentido da ajuda ao próximo, de fazer o bem, soltaram as bexigas, encerrando assim um dia de muita reflexão e emoção.

 

A ideia que fundamenta a proposta das equipes de ajuda, não poderia ser melhor traduzida, nas palavras de uma de suas integrantes:

“O principal é que o ‘espírito de ajuda’ entra nas pessoas, formando como uma reação em cadeia, um ajudando o outro e desse modo é formada uma grande corrente do bem!”