© All rights reserved GEPEM 2018

FORMAÇÃO DE PAIS​

"Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos, e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, compassivos,

responsáveis) para o nosso planeta"

(autor desconhecido)

Quantos de nós nos afligimos ao vermos os filhos resolvendo seus problemas com choros, gritos e escândalos em supermercados, e comumente agredindo-nos ou a seus irmãos! Quantos de nós não sabemos como lidar com as birras, as indiferenças e a teimosia de um adolescente?

Quem nunca se perguntou: estarei acertando na educação do meu filho? Quem nunca se confortou na lembrança: “no meu tempo sim tínhamos valores. Bastava o olhar do meu pai para pararmos de discutir. Hoje as crianças não respeitam mais...”. Quem nunca se questionou: se não posso bater, o que fazer então?

Sabemos o quanto é difícil educar crianças e adolescentes. Sabemos o quanto não fomos formados para isso e o quanto nos custa cada não, cada sim que pronunciamos aos nossos filhos. Essas e outras tantas indagações nos unem para então procurarmos respostas que nos ajudem nessa difícil tarefa que é educar um novo ser humano.

Escola de Pais do Colégio Biocêntrico - Nova Odessa/SP

Depoimentos gestores

 

 

O Colégio Biocêntrico sempre acreditou na parceria escola-família, nas diversas relações que se possa constituir (pais, conflitos, angústias, medos, expectativas, profissionais, senso comum, cliente, etc). Também sempre buscou caminhos para que tal relação pudesse contribuir para a evolução de todos (profissional, pessoal, social), numa harmonia consistente de ideias. Com tal propósito, os momentos de Formação de Pais, na parceria com o GEPEM, têm contribuído consideravelmente nesta relação. É perceptível a olhos nus mudanças positivas nas posturas de alguns pais na relação com a escola e sua equipe, e principalmente visíveis mudanças comportamentais dos alunos cujos pais são participantes dos momentos de formação. As relações tornaram-se mais leves. Aluno se tornou mais independente e seguro.

Aluno que mesmo com características de liderança sem tolerância, passou a observar, ouvir e resolver conflitos com mais empatia e tranquilidade. Cobranças, tanto para com os professores, com aos filhos, passaram a ser conquistadas com maior diálogo e confiança. A percepção do outro passou a ser peça fundamental na relação e , consequentemente, na confiança. Posso afirmar que o trabalho de formação de pais atrelado a todo projeto de convivência ética desenvolvido sistematicamente com os alunos nas aulas, tem nos dado como resultado uma harmonia na aprendizagem, nas relações e na educação, possibilitando muitas conquistas.